sábado, 18 de outubro de 2008

Duas oportunidades, uma só escolha

Tem pessoas que tem duas oportunidades, duas chances na vida.
Mas existem aqueles que não tem nenhuma chance: para se defender, para ousar, para renascer.
As meninas baleadas por um idiota( desculpem, só falando assim), no final da sexta-feira, em São Paulo, não tiveram chance de fugir.
Estamos torcendo para que elas tenham uma nova porta de saída.
Beijos e até domingo

12 comentários:

Rosana disse...

Nossa Lili, ontem quando cheguei em casa liguei a TV e fiquei chocadaaaaaaaa com este desfecho cruel, horrívelllllll, absurdo, inacreditávelllll!!!

Já rezei por elas e estou pedindo a Deus pela recuperação da duas, QUEM FALHOU ALI???

Espantoso o desenrolar deste sequestro, tristíssimo!!!

Camélia disse...

Hortência,

Realmente foi chocante demais, duas meninas, cheias de vida, não mereciam estar passando por isso. Que Deus tenha piedade de todos, vidas marcadas, traumas para o resto da vida, e provavelmente o pior deve acontecer com uma jovem de 15 anos. Pensei logo na família, nos amigos, muita dor.
Só rezando mesmo.
Ro - quem falhou? Agora isso não trará mais a alegria de volta, muito menos a vida de uma adolescente. É lamentável. O rapaz é um desequilibrado emocionalmente, acabou com a vida dele e dos outros. Isso já será uma punição até o fim da vida dele. É como uma flecha, uma vez lançada, não faz curva, acerta o alvo. Não tem volta. Policiais, um grande questionamento em nosso País. Esse assunto dá o que falar ..... Acho que chega, vamos continuar orando.

Beijos
Camélia

marialice disse...

Como dizem o japoneses, "o equilíbrio é a base de tudo" ... tudo que é demais se torna doentio, obsessivo, fora de controle ... até um sentimento tão lindo como amor. Quem gosta cuida, e se não for correspondido deixa o outro seguir sua vida, ser livre, feliz ... mas para Deus nada é impossível e tenho certeza que ELE poderá fazer um milagre e salvar a vida dessa menina, já que a outra está fora de perigo.
Julgar procedimentos táticos dos policiais quando se trata de um caso passional também é difícil, o que nos resta é rezar e pedir pelo bem estar de todos.

Rosana disse...

Oi meninas queridas, triste demais tudo isto , marcadas para sempre as duas, suas famílias, amigos, vizinhos, que Deus faça o que for melhor para esta menina,a situação dela é terrível e ficar vegetando tb, nossa, nem é bom falar!

A vida do rapaz tb já era e fico pensando na família dele que situação, vamos rezar por elas, beijins e bom domingo p tds.

Lulu disse...

Lamentável que tudo isto tenha acontecido... o mundo está cheio de pessoas que têm baixa tolerância à frustração, e que se descontrolam emocionalmente a ponto de cometer absurdos... eu imagino que ao entrar no apartamento, ele não tinha noção da dimensão que a coisa ia tomar, e aí se perdeu... acredito que esteja sofrendo bastante, fico pensando no enorme vazio que ele deve estar sentindo dentro dele...
penso também no sofrimento das famílias envolvidas... foi trágico para todos. Uma menina de 15 anos à beira da morte, outra ferida e com certeza bastante traumatizada e um jovem de 22 anos com a vida perdida.... lamentável, lamentável mesmo.

Lulu disse...

A propósito, Eliane, uma das meninas teve chance de sair, sim... foi liberada, mas voltou. É comovente a lealdade dela com a amiga... me lembra um e-mail que recebi uma vez, na guerra um soldado é ferido de morte e um amigo sabendo disso vai resgatá-lo, o comandante da tropa ordena que ele não vá, que não vai valer a pena porque o amigo está à morte, estão em plena batalha, mas ele desobedece ao comandante e vai. Encontra o amigo agonizando, abraça-o, e este lhe diz: "eu sabia que você viria".... sem dúvida a Eloá pensou (ou disse) ao ver Nayara de volta: "eu sabia que você voltaria"... pelo menos este consolo esta menina teve...

Lulu disse...

Meia noite, a Globo News entra com o "Em cima da Hora" ao vivo... os médicos confirmam a morte cerebral de Eloá.
Lamentável. Lamentável. É só o que eu consigo dizer. Lamentável...
:-((

Rosana disse...

Liliiiiiiiiiiiiiiii, Flor do Leme, correeeeeeeeeeeee no tópico FINAL DE SEMANA TRAZ HORÁRIO DE VERÃO tem um BIG SURPRISE para vc ali, anda, correeeeeeeeeeeeeeeeeeee!!!!!!!!!!!!

Beijinssssssssss, rs,sr,sr,sr,rs,sr,sr, adoroooooooooo surpresas!!!!!!!!!

Rosana disse...

VIZINHAAAAAAAAAAA, TOC, TOC, TOC, TRIM, TRIM, TIIMMMMMMMMMMMMMMMM, vixiiiiiiiiiiiii, a criatura sumiuuuuuuuuuuuuu, MISTÉRIOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO!!!!!!

Quero só ver a "historinha" que ela vai contar, deve estar com "o abandonado" no colinho, consolandooooooooo, rs,sr,sr,rs,sr,sr,rs...

eliane p/ todas disse...

Queridas, o silêncio é mais eloquente do que as palavras neste momento
Um beijo. E vamos em frente.
Só deixo no ar uma questão:
nos meus quinze anos, eu queria namorar sim. Mas a linha era duríssima. Mas vivíamos em bailes, festas, de olho torto na praia e valsando, valsando...

Vida que segue.

Lulu disse...

O meu primeiro namoradinho eu não tinha nem 11 anos. Ele devia ter uns 12 ou 13. Ele frequentava o mesmo dentista que eu, e eu ia sempre com uma amiga (o meu par de colchete da época). Aí eu mandei ela dizer a ele que o achava uma gracinha e mandava perguntar se ele queria namorar comigo. Ele respondeu que sim. Namorávamos ao redor da praça, eu caminhando na praça e ele ao meu lado de bicicleta, pela rua. Chegamos a ir ao cinema juntos e assistimos o filme todo de mãos dadas. Só que isso foi no interior, onde minhas tias-avós moravam. Meus pais nem imaginavam que isto estava acontecendo. E este namorinho (na verdade, brincamos de namorar, tal era a nossa inocência na época) durou as férias todas. Nunca o esqueci. Qualquer hora dessas se me der na telha vou procurá-lo para saber se ele lembra de mim como eu lembro dele.....

eliane disse...

História legal LULU.
Ainda mais com a Georgina entrando por aqui com muitas recoradações de infância de namoradinhos.
Não tenho filhos,mas ia ser a maior linha dura.
sei que hoje em dia não adianta.
Mas existem recursos para preencher o tempo das meninas.