domingo, 3 de agosto de 2008

Gírias e expressões brasileiras

Outro dia, ouvi de um amigo que eu era o "Cão chupando manga". Ainda falei brincando:
"Era não. Ainda sou."
Mas fiquei com a expressão na cabeça. A gente fala tantas coisas no dia a dia, entende o significado, mas nem sempre sabe como surgiu uma gíria ou uma expressão. Andei pesquisando e olha o que eu achei:
"Expressão muito usada no Nordeste para definir qualquer coisa superlativa. Na linguagem quotidiana, ela se refere a quem é bamba em determinado assunto, valente, inteligente. Em suma: o tal."

Até aí, adorei. Tudo bem né gente?!Metida... Mas vejam agora o que vem pela frente:

"Mas a expressão também se aplica a tarefas muito difíceis "passar no vestibular é o cão chupando manga!" Na verdade, não designa propriamente o animal cão, cachorro, e sim o diabo. É o diabo chupando manga, o tinhoso, o coisa ruim. Ele, aliás, tem diversos apelidos, sobretudo no interior do país, e diz a crença que nunca se deve pronunciar seu verdadeiro nome para não atrair desgraça."

Esta pesquisa me levou para uma história bem lá do passado, que minha mãe contava sempre.
Tive uma babá que eu amava. Ela se chamava Remi. Um dia Remi morreu no parto. A partir daí , eu não aceitava nenhuma outra babá. Bem, um dia minha mãe trouxe outra pretendente ao cargo e me advertiu que aquela moça ali( depois de muitas tentativas) ia ser de fato minha babá. Eu, com três anos, olhei para a moça e com uma de minhas botas ortópédicas dei-lhe um chute. E rápidamente acrescentei:
"Isto é só para você saber que eu não sou sopa não."
Minha mãe contou que queria rir, mas não podia. E sempre falava sobre este caso.
Conclusão, meu amigo tem razão. Eu não sou sopa não. Sou o cão chupando manga. Mas entre as definições acima fico com a da teimosinha,tinhosa, gênio cativante , de sobrancelha arqueada..
Mas uma teimosa de bom coração.

5 comentários:

Luiz Otávio Coutinho disse...

Chute na canela da babá!

Esse seu amigo está coberto de razão, o aprendizado de como ser um cão

chupando manga vem desde cedo.

Também tive o "privilégio" de constatar a aplicação dessa

gíria oriunda do Nordeste brasileiro na personalidade da Eliane.

Mas, cá pra nós, ela leva muito mais a doçura da manga do

que a ferocidade do cão.A combinação deles que era perigosa!

Nas poucas vezes que vi sua metamorfose, que se iniciava com a

sobrancelha arqueada, diria que estava mais para um "vul"cão chupando

manga.

Eliane disse...

Duelo com jornalista é fogo. É verdadeira luta de palavras, duelo de esgrima.É preciso sempre ficar a postos e preparada.
Você é um ótimo escritor, observador e tem que escrever e editar seus contos.
E para você ficar bem na fita, quero dizer que além de "chute na babá,"cão chupando manga", sou conhecida também como...bem não vou dar asas à cobra. Sem veneno, sem veneno.
Adorei comentário. Acho que vai abrir brecha para todo mundo agora enumerar as expressões que colecionam ao meu respeito.
Meu advogado por exemplo. Quando vou ao escritório, ele diz lá vem Dona Linda(minha mãe). Dona Linda sim, era "cão que chupava limão!"

Luiz Otávio Coutinho disse...

Imagino mesmo que a D. Linda fosse "o cão chupando limão".
É genético! Só que com pós graduação, pois o limão é azedo.
Garanto que o Dr. Ari colocava um açúcar, uma vez ou outra, e a D. Linda se transformava numa doce limonada.

Eliane disse...

É meu amigo, mas sãos estas mulheres que parecem ácidas, duras,impenetráveis, é que sabem como ninguém recomeçar.
E são também aquelas que marcam.
Sabia que meu pai casou de novo?
E levava minha madrasta todo mês ao cemitério para colocar flores no túmulo de minha mãe?
Ela mesma foi quem me contou...
By the way, o cão está preste para rosnar hoje.

Anônimo disse...

Oi pessoal, quero umas palavra do nosso cotidiano com o significado para fazer minha pesquisa poderiam responder agora?