domingo, 3 de agosto de 2008

Ah estes reencontros...


Oi amigos leitores, estou de volta do finde.
Na verdade cheguei cedo. Tenho me pego cantando por aí. Feliz. Afinal, tantos reencontros...
Nesse sábado tive mais um.. daqueles! Na verdade, há cerca de dois anos eu já havia reencontrado a Vera. Ela é neta de dona Palmira, amiga de minha mãe e acho que também de minha avó. Bem, fazem parte das minhas lembranças de juventude do Leme - meu bairro predileto no Rio.
Enfim, o reencontro com Vera foi em uma casa de material de construção lá em Itaipava. Ela olhou para mim e gritou meu nome. Eu sorri e ela continuou falante:
-"Dancei sua valsa de quinze anos."
Eu brinquei sorrindo também:
-" Fala baixo", e ri. "Faz tempo hem?! "
Vera continuou alegre a conversar. Contou que estava morando em Itaipava, era casada com um holandês, o Maarten, três filhos do primeiro casamento e que tinha agora um pub. Um pub holandês, é claro. Me convidou para ir lá conhecer.
Bem, como vocês sabem, em 2007 eu estava no front de batalha com meu arsenal de guerra. Mas nem um dia parei de fazer social. Fui cumprimentá-la em um sábado qualquer, magrinha, abatida e ela notou. Contei que tinha acabado de passar por uma cirurgia, que estava bem, mas não entrei em mais detalhes. Ela me espremeu em um segundo encontro, e acabei contando um pouquinho mais. Bom, a partir daí Vera mandava emails, contou a história da mãe- grande sobrevivente e cheia de vida-, insistiu para eu ir à feijoada no primeiro sábado de cada mês. Ainda não tinha chegada a hora certa.
Neste sábado, fui lá. Provei a feijoada( só um pouquinho, meus médicos queridos),conheci os amigos de Vera - muitos simpáticos- , a filha do meio e os netos( calma gente, Vera foi avó aos 40). Ela não sabe, nem desconfia, mas o carinho, a festa, a ligação da mãe dela para mim e a feijoada me fizeram um bem enorme .
Prometi colocar a foto de Vera no blog para toda a família e em especial o Maarten ( que também é maestro) curtir neste final de inverno na serra. Vera van Tillburg era uma menina tímida, de cabelos acobreados e de sardinhas. Hoje é a dona de um dos lugares mais aconchegantes da serra, o Klein Leidseplein. Vale a pena conferir.
Vera, volto lá para o happy hour da sexta. E um dia vou ver o Maarten reger os músicos da comunidade de Madame Machado. beijo na mamãe Vera, e obrigada pelo carinho e força.
Aí vai a foto hem?!
Vivam os reencontros!

Um comentário:

Vera disse...

Texto enviado por Vera,que tomo a liberdade de colocar alguns trechos no blog.
Oi amiga,
Nossa, quanta emoção !!!!!
Se a primeira foto ja fez correr algumas lagrimas, imagina esta... e todo o texto carinhoso que escreveu... Amei.... Fiquei muito, mas muito emocionada com as suas palavras...
Quando vi a primeira foto postada no seu blog, chamei o Maarten correndo para que visse. Eu disse : " olha so como eu era bonitinha e nem sabia " ... ao que ele respondeu imediatamente : " Era nao ! Voce ainda e !" Isso e que e maridao, kkkkk
Mas pensa bem _ nenhuma de nos tinha realmente a noçao da nossa beleza e graciosidade... Isso se aprende com a maturidade. Aos poucos, vamos virando " caes chupando manga " como diz aquele seu amigo... porque vamos, ao longo da vida, aprendendo a nos valorizar...
Nao resta duvida de que somente uma jornalista talentosa como voce poderia ter descrito tao bem todos os momentos compartilhados, embora, por breves tempos. Pouco depois daquela festa, cada uma seguiu seu caminho... Mas a lembrança desses tempos ficaram guardadas com todo o carinho.
Foi muito bom ter reencontrado voce. E como nada e por acaso (nao acredito em coincidencias) sinto-me feliz por ter, de certa forma e indiretamente, ajudado voce a superar momentos tao dificeis.
Agora que nos reencontramos, quero dizer que estou aqui para o que der e vier ...
...Obrigada tambem pela força de veicular o nosso trabalho e o nosso Pub.
Sentimo-nos muito honrados.
... Da proxima vez, prometemos preparar um cardapio mais light, senao os seus medicos vao me dar a maior bronca !!!!!
Um grande beijo e tot ziens !
Liefs,

Vera e Maarten