sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Meu lar


Uma cidade é mais do que um lugar que nascemos ou escolhemos para viver. Quando elegemos uma cidade como parte de nossas vidas é porque a consideramos um lar, nosso lar. E o que é um lar? É a forma mais carinhosa de definir onde queremos ficar, estar; é o lugar seguro que nos acolhe em todos os momentos vividos. Um lar é uma casa que construímos devagar e que imaginamos ali viver toda uma vida ou parte dela. O local onde convivemos com familiares, vizinhos, amigos e nos enche de orgulho e satisfação.
E o que fazemos quando vemos, ano após ano, alguns destruírem o nosso lar? Nada?
Ao longo dos últimos vinte e cinco anos vi meu lar ser maquiado por tintas coloridas, vi meu canto ser invadido por vândalos e destruído em chamas. Vi meus vizinhos tristes, vi as grades decorarem edifícios, casas, vi cercas elétricas serem montadas e a fuga de muita gente para construir um novo lar muito longe do meu. Vi o medo no olhar das famílias, os hábitos serem mudados, a indiferença dos arrogantes e a tristeza invadir meu lar. Vi o orgulho ser destruído e meu lar virar piada nacional.
Dizem que o bem vai vencer o mal. Acredito que sim. Sou uma pessoa de fé. Mas quando este dia chegar, já estaremos marcados, traumatizados porque não somos de ferro.
Que nesta sexta-feira possamos renovar nossa esperança de que -um dia - o lar de todos será um lugar realmente maravilhoso.

16 comentários:

Maria Cecile disse...

Bom Eliane, pelo menos o dia está bonito hoje, aqui no Rio! Vamos torcer para a "equipe" do bem fazer bonito também pela Cidade.

Vendo essa "terror" todo pela televisão, me lembra aquele aviso do Terceiro Segredo de Fátima, se não me engano, que diz mais ou menos assim, "durante 3 dias ninguém sairá de casa porque o mal estará nas ruas..." Estamos vivendo essa profecia.

Bjs de esperança!

Eliane Furtado disse...

Querida Cecile. Boa lembrança.
Mas vc não acha que vivemos a profecia há vinte anos?
Sexta verda da cor da esperança.

Papoula PAZ E AMOR disse...

Bom dia queridas, peço a Nossa Senhora que abençoe nossas vidas, nossa cidade e que um dia mas que seja mtoooooooooo breve possamos orgulhosamente dizer: EU MORO NA CIDADE MARAVILHOSA DA PAZ!!!!

Ninguémmmmmmmmm mais aguenta tantaaaaa violência e isto tudo começou no governo de Brizola quando S. Teresa deixou de ser um bairro bucólico, onde só se ouviam os cantos dos pássaros e o barulhinho charmoso do velho bondinho para ouvirmos tiroteios a qq hora do dia ou da noite, ali acabou a PAZ no Rio, a PAZ que reinava em Santa!

Tenho ESPERANÇA que um dia a PAZ invadaaaaaaaaaaaaaa o RIO DE JANEIRO, dia abençoado p vcs, beijinsssssssssss

Chica disse...

Fico tão triste em ver o meu querido RIO assim...pena! vamos mandar bosn fluidos ,desejar sempre e cada vez mais a PAZ que tanto precisamos. beijos,fica bem, tudo de bom,chica

Emília Pinto e Hermínia Lopes disse...

Dá-me uma tristeza ver as imagens do Rio de Janeiro, Eliane!!!A nossa casa pode até ser modesta, construção simples...um humilde prédio muitas vezes construído junto de casas faustosas, mas é o nosso lar; como muito bem diz, o lugar onde nos aconchegamos, onde vivemos com a família que construimos, onde recebemos os amigos mais queridos e onde vamos acumulando e guardando com carinho todas as recordações de uma vida; é muito triste quando temos de fazer do nosso lar uma fortaleza tentando a todo o custo preservar o nosso lar. Se cada um pensasse na sua cidade como sendo o seu lar talvez os lares dos outros fossem respeitados. Infelizmente há pessoas que não sabem o que é um lar, um aconchego um carinho e depois chega a uma hora em que faz tudo para que os outros não possam ter a felicidade de terem sabido construir um lar. Gostei muito do seu texto, embora sinta que ele ´seja um desabafo triste e com muita razão. Esperemos que tudo isso mude e que possa de novo a sentir-se protegida no seu lar.Mas, concordo, Eliane, não vai ser fácil. Tenhamos, pelo menos ESPERANÇA! Um beijinho e um bom fim de semana
Mila

Vera do sulllll disse...

Bom Dia Eliane e Blog Faceiro!
Este dia chegará e o povo do Rio voltará a ser um LAR de verdade onde se tem vontade de voltar SEMPRE.
Fica o alerta da situação para os estados que ainda não se deram conta do problema. Acordem.
Bjs de sexta, desejando que dê praia para os cariocas do bem e cadeia para os traficantes.

Eliane Furtado disse...

Papoula das lembranças de Santa, o bairro bulcólico.
Vera do Sullll civilizado.
Chica de sangue bom e boas sementes.
Mila e Hermínia do sempre começar.
Longo caminho para este lar voltar ao normal.
Triste é pensar que: será que eles fazem estas operações só pelos eventos internacionais?
Espero e desejo que não.
Afinal todos os lares são afetados.
Um boa tarde carinhosa para quem já chegou e quem ainda virá.
Este Blog é seguro.
Beijos

Tatiana disse...

Quando morei no Rio, já era difícil conviver com toda a violência imagino que tenha piorado muito ao longo desses 18 anos... Que seja um momento do bem vencer o mal e de uma nova vida para todos os moradores dessa cidade maravilhosa!

Um beijo carinhoso

Cristina disse...

Eliane
Vejo as imagens aqui pela tv e fico muito triste, pois o Rio é uma cidade tão linda, de gente tão hospitaleira! Tenho parentes aí e me preocupo com todos. mas vamos ter fé que tudo isso vai ter fim. Obrigada pela visita em meu blog e pelas palavras de carinho. Boa sexta! Bjssssssssssssssssss

Papoula, PAZ P RIO DE JANEIRO JÁAAAAAAAA! disse...

Estou adorandooooooooooooo a ação da polícia, exercito, marinha, BOPE - CAVEIRAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA, finalmenteeeeeeeeeeeeee estão fazendo o que já deveria ter acontecido no Rio, temos que viver em PAZZZZZZZZZ, ter o direito de ir e vir quando bem entendermos, que prendam todossssssssssssssssssss e se tiver que atirar p´acabar com esta cambada que atiremmmmmmmmmmmmm e acertemmmmmmmmmmmmmmm, O RIO DE JANEIRO QUER VOLTAR A SER A CIDADE MARAVILHOSA E VIVER EM PAZ!!!

Maria Cecile disse...

Eliane, sim, estávamos já vivendo a predição. mas eu sinceramente não achei que o terror viria daí. Sou muito "Alice", não, rsrsrs. Achei até que era uma alegoria, mas na verdade, imagina o que os moradores do Alemão por exemplo, não estão passando sem poder sair de casa porque o terror está na rua.
Minha cunhada disse que um policial aluno dela (ela é profa. de ginástica) disse que a coisa está pior do que o que aparece na TV e que a polícia estaria esperando ataques nas próximas horas por toda a cidade na esperança de fazerem menos pressão nas áreas em que os bandidos estão concentrados e cercados. espero que isso seja só um boato.
O jeito é ver novela, ver DVD no fim de semana... até que tudo se acalme.
bjbjbjs e bom final de semana, ou melhor, um final de semana mais seguro. bjs.

Silvana disse...

Boa noite Blog, boa noite Lili, foi a descrição mais linda de amor a uma cidade que já li, fazer o mea culpa e assumir que temos uma parcela de culpa pela situação que agora se enfrenta é o recomeço, em vez de aceitarmos com passividade a destruição da nossa cidade, nos protegendo e trancando nossas casas, deviamos ter enfrentado, mas acho que na vida tudo tem o seu momento certo, e parece que o momento é agora. Adorei o que você escreveu e se me permite vou compartilhar. Beijos

Lulu disse...

Na década de 50, meu pai, que é do Banco do Brasil, fez uma viagem numerária (levando dinheiro, que estava em excesso no caixa aqui na agência de Aracaju - coisas daquele tempo) e ao desembarcar no aeroporto, os carregadores, ao verem os malotes identificados do Banco sendo descarregados, comentavam: "ei, fulano, olha, Banco do Brasil!" Imagine... coisa daquele tempo mesmo. Hoje já teria uma quadrilha armada até os dentes com fuzis AR-15 para assaltar...
Eu, pessoalmente, sou a favor da liberação das drogas. De todas elas. O governo faria uma campanha maciça de conscientização, taxava com impostos lá em cima, e pronto. Com certeza iriam acabar com toda essa violência e com esse poder paralelo.
A nossa cidade natal não é apenas nosso lar. É uma extensão nossa. O limite de nosso corpo não termina em nossa pele. Estende-se para nossa casa, nossa cidade. Assim, nossa cidade, na verdade, somos nós próprios. O que fazem a ela, fazem a nós. E dói ver tudo isso...
Beijos, tenham uma noite tranquila e de paz, bons sonhos.

Bia disse...

Boa noite amado blog,

Seu texto foi contundente e preciso. Fala do real e das nossas emoções...
Fiquei comovida, pensando, que as opções de um lar nunca foram respeitadas..., por décadas...
Vc., no texto, me reportou a um Rio que não existe mais há muito tempo...
E agora? chega uma hora de prestação de contas... Talvez a hora tenha chegado... Torço pelos mocinhos, que nem sempre são aqueles que elegemos um dia.
Acredito que tudo acabará bem, até porque temos Copa e Olympíadas..., né? ou não? rs

Bjss :( triste por ver tanta coisa ruim

Eliane Furtado disse...

Bia-saudade-, Lulu, Silvaninha, Cristina guerreira e doce Tati.
Oportunas mensagens. Obrigada.
Maria Cecile, adorei ter voltado e entrado mais no assunto.
Papoula, que história é esta de trocar os porteiros pelo Bope? Coitados ks

Daniel Savio disse...

Espero que o Rio de Janeiro tenha dias de paz, pois é local tão lindo...

Fique com Deus, menina Eliane Furtado.
Um abraço.