quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Bye bye amor romântico!


Bom dia, bom dia turma da Vida. Vocês sabiam que ter parceiro único vai se tornar coisa do passado? Pois é. Há muito tempo aqui eu tinha colocado umas idéias e estudos da psicanalista Regina Navarro sobre o amor no futuro. Ela é especialista em sexualidade e seus dois novos livros destacam mudanças incômodas para quem nasceu no século passado e tem um estilo conservador frente a paixão. Regina defende algumas posições de arrepiar. E não acho que ela está muito longe da realidade, não! Ouço estórias, converso com muitos especialistas que afirmam que muita coisa já rola por aí há tempos. Nós, um grupo sonhador, é que vivemos sem enxergar.
Querem saber as idéias da Regina? Então vamos lá:
-Pesquisa feita: 77% de pessoas admitiram que topam fazer sexo a três.
-Nos últimos anos, mais casais passaram a frequentar casas de swing, onde fazem sexo com mais de uma pessoa.
- Os relacionamentos virtuais estão contribuindo para a tendência de se amar mais de uma pessoa ao mesmo tempo.
-Numa relação estável as cobranças de “fidelidade” são constantes e é natural sua aceitação. Severa vigilância é exercida sobre os parceiros. Isso não adianta muito, já que, na realidade, todos são afetados por estímulos sexuais novos, vindos de outras pessoas que não os parceiros fixos.
-O casamento é onde menos se faz sexo. Muitas mulheres amam seus maridos, não conseguem imaginar a vida sem eles, gostam de ficar abraçadas, bem junto, fazendo carinho. Só não sentem desejo sexual algum. Algumas se esforçam para que o desejo volte a existir: fazem promessas, vão a motéis, organizam viagens de fim de semana para lugares bucólicos, abrem um champanhe. Mas não tem jeito. Desejo não se força, existe ou não.
-O tesão acaba no casamento por causa da excessiva intimidade, excessiva familiaridade. Mas o principal motivo é pouco falado: a exigência de exclusividade. A exclusividade leva ao desinteresse, por eliminar a sedução e a conquista.
É queridíssimos, para Regina o amor romântico está saindo de cena e levando com ele a sua principal característica: a exigência de exclusividade. Sem a idéia de encontrar alguém que te complete, abre-se um espaço para outros tipos de relacionamento, com a possibilidade de se amar mais de uma pessoa de cada vez. O amor romântico prega a fusão de duas pessoas e é uma idealização do outro. Traz a idéia de que você tem de encontrar alguém que te complete, sua alma gêmea. E esta estória de fusão e transformação em uma só pessoa não está mais com nada.
E aí? Haja cabeça para tanta mudanças neste campo tão complexo como o amor e a sexualidade.
Regina Navarro Lins lança hoje os dois livros dela que contém estas idéias. Ambos são baseados na pesquisa que ela fez durante nove anos no seu site, que esteve no ar de 2000 a 2009.
Quinta-feira, 25 de novembro, o Rio de Janeiro pede socorro. Mas há muito, mas muito tempo mesmo!

21 comentários:

Papoula é de um homem só! disse...

O RIO PEDE PAZ, TRANQUILIDADE,KD AS OTORIDADES PARA DAR UM FIM AO HORROR QUE TOMOU CONTA DA CIDADE????

PAZZZZZZZ, PAZZZZZZZZZ, PAZZZZZZZ PARA O RIO DE JANEIRO!!!!

Quanto a estas idéias mtooooooo AVANÇADAS eu ainda fico nos ANTIGAMENTE, gosto de exclusividade, gosto do amorrrrrrr que nos arrepia de alegria ao ouvir a voz do amado, ao vê-lo chegando com lindas rosas, este negócio de sexo a tres, quatro TO FORA, neste ponto sou EGOÍSTA SIM, não vou dividir meu HOMEM FILET COM NINGUÉMMMMMMMMMMMMMMMMMM rs,sr,sr,sr,sr,sr,sr,sr...e vamos combinar AMAR É MARAVILHOSO E SER AMADA MUITOOOOOOOO MELHOR, LIndo dia queridinha da BABILÔNIA.

Papoula empresta O ROBÔ! disse...

Meu ROBÔ ADALBERTO eu empresto sem problema pq lavou tá novim mas o MORENÃO, ALTÃO, GOSTOSÃO E MTOOOOOOO CHEIROSO nemmmmmmmmm morta santa!!!

Eliane Furtado disse...

Kskskskks Homem filet. Se for filet mesmo não é você quem vai dividir...elas vão tomar de você e ele não vai resistir. Carne de segunda, bem já é mais difícil.
Ó papo bobo para um amanhecer. Só duas romãnticas bem humoradas ksksksk.
Mas antiga é você.
Só você! Agora, amor a três????????? Nunquinha da Silva.

Papoula tá que tá disse...

Eita Lilizinha, tá de olho no meu HOMEM FILET??? Tiraaaaaaaaaaa os ÓIO lindona o FILET É MEU E NINGUÉMMMMMMMMMM LAMBE, VIU???kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk...estas modernidades de sexo em tchuma é mto doido para minha cabeça, sou do tempo da "exclusividade" ilusória pq na realidade sabemos que isto não existe mas FINGIMOS QUE SIM e desde que não chegue com OUTRO PERFUME q não seja o meu, tá tudo mto bem, tá tudo mto bom, só não pode pisar fora do pinico pq aíiiiiiiiii o TEMPO FECHA , BAIXA BOLERÃO e chulapadas na criatura kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk...

Chica disse...

Puxa, sou jurrássica então!rsss...

O que deve se saber é que não podemos imaginar que aos 60 vamos querer transar, transar...mas amos não é só sexo. Ele faz parte , mas o grande mesmo é o que vem do coração.
CLARO que não podemos virar vassouras, duras ,espetecadas e sem sentimentos.
mas o amor acompanha a idade, SE É DE VERDADE!!!
Bom,falei muito,rsrs


beijos,chica e lindo dia, cheio de amor, da forma que ele for...

Vera do sulllll disse...

Bom Dia Eliane e Blog!
Papoula nós todos, nos solidarizamos com os cariocas de bem que não merecem o que está acontecendo. Deus nos proteja. Um promotor da minha cidade num júri, no qual eu era juarada disse. A violência virá: PoA se tornará um Rio de Janeiro e Erechim uma PoA, na violência NÃO QUERO ACREDITAR NISSO mas os fato estão mostrando e a violência CRESCENDO. Que DEUS E OS ANJOS E OS SANTOS NOS PROTEJAM.
Também sou mulher de um homem só. Acho que temos consciência e o nosso eu "animal" não deve prevalecer a ela.
Bjs do sul ainda em paz....

Maria Cecile disse...

Eliane... sei não... acho que isso na teoria é uma coisa, na prática do dia a dia a gente quer exclusividade.
mas... se for mesmo a tendência, acredito que só daqui a umas décadas a monogamia seja coisa do passado. Mas acho que viraria o caos, instintos indomados, outra Sodoma !?!?!
Espero que isso não aconteça.
Beijos de boa quinta. bjbjbj.

Eliane Furtado disse...

Jurrássica? Duvido Chica. Com estes blogs que vc administra tão lindos e atuais, vc é ainda uma garotinha que plantas saudáveis sementinhas.Certamente tb no amor.
Por favor Chica, esquece idade aqui ksksksskkssk

Eliane Furtado disse...

Vindo de uma linda e jovem Fadinha fico mais alegrinha. Mas a psicanalista não lhe entrevistou rsrsrs. Agora volto a falar. Existe um mundo à parte que já rolaaaaa.

Eliane Furtado disse...

Oi Vera do Sulllllll.
Bom dia aí no Sul tranquilo. Estou falando de amor, mas meu coração carioca está despedaçado.
Estamos ilhados. Estou no Centro e agora no Rio, a situação é muito delicada. Uma pena.

Bubby disse...

Eliane,

Esse assunto é excelente!

Não há desinteresse de sexo no casamento, existem falta de diálogo e experimentar novas possibilidades a DOIS entre quatro paredes. . .

Quanto ao "swing", acho que isso rola, mas os supostos casais que freqüentam a essas casas, os homens, levam garotas de programa e raríssimas são as vezes marido e mulher, isso é dado estatístico.

O mundo moderno e globalizado afasta-nos do lar e da família, viagens a trabalho, medo de desemprego, disputa acirrada por posições melhores nas empresas e por aí vai, leva-nos a por na balança a família e o emprego, falo isso por experiência própria.

Sexo a três tem que definir qual e como, dois homens e uma mulher, duas mulheres e um homem, três mulheres, três homens?!? Quem se arrisca a definir. . .

Rio de Janeiro em guerra, ouvi agora no noticiário que, o governo e$tadual, sabia há um mês desses ataques e, que nada fez, por causa das eleições!! Para ele, o governador, e$tá tudo $ob controle, anda de helicóptero, carro com batedor, $egurança até na hora de dormir. . .a$$im tudo fica normal e $ob controle!!!

Reeleito, fica agora dando, uma de $UPER, PODERO$O & GRANDE E$TRATEGÍ$TA!!

Temos que aguentar mais quatro anos!!!

Bubby sabe Bubby diz!

Eliane Furtado disse...

Os homens adoram este assunto não é?! ksksksksk. Tudo bem.
Mas sua análise foi bem legal.
Quanto ao outro assunto, sem comentários.
Se eu fosse contar...
Vamos ao Blog da alegria e superação.

Emília Pinto e Hermínia Lopes disse...

Sim!!! Tenho ouvido as notícias e o Rio, não só agora, mas há muito pede socorro. Que pena! Pede socorro também já ha´muito o relacionamento a dois. Isso da actividade sexual em casamentos, como o meu, juntos há 35 anos, é verdade; já não é fácil mantê-la com a assiduidade desejada. Uma amiga minha dizia com muita graça..." pois é...já quase virámos irmãos!!! " Penso que ainda há jovens que querem relacionamentos como os nossos; tenho uma filha, por exemplo a quem o namorado deixou depois de 9 anos; há 2 que ela procura outro relacionamento sério; não quer um simples " ir ficando para ver no que dá, como lhe foi proposto há pouco; ela queria que ele tentasse a sério, não tivesse medo de arriscar. Mas ele tem medo de assumir compromisso e é o que mais se vê por cá hoje em dia. Enfim...tudo muda e o amor, os conceitos sobre ele também. Eliane. fica bem! Um grande beijinho. Tenho agora uma aula de psicologia na Universidade senior. Volto já
Emília

Eliane Furtado disse...

Oi Mila, tudo muda mesmo.
E as meninas continuam muito românticas. Acreditando no amor e no casamento.
Boa aula. Agasalhe-se bem.

tesco disse...

Vejo um notável equívoco no assunto: O amor romântico não é coisa do passado, pelo contrário, é uma evolução. Talvez tenha nascido na Idade Média, como diz Denis de Rougemont, em "História do amor no ocidente". Antes disso havia puramente atração sexual ou interesses financeiros/políticos, com exceções, claro. Mas a regra geral não previa sentimentos no enlace entre cônjuges.
O encontro sexual, na História, foi sempre caracterizado pela oportunidade e pela proniscuidade. Disso são exemplos as civilizações conhecidas: Roma, Grécia, Babilônia, Egito, Suméria... Não discuto civilizações orientais mas, as relações homem/mulher nesse caso, é mais de dominação que outra coisa, e o homem, provavelmente, vivia em reconhecida poligamia .
Como a relação sexual, muitas vezes, é o que degrada-se primeiro nos casamentos, segue-se uma dissolução sentimental, se o casal não vive uma dimensão espiritual, digamos assim.
Porém, a paixão inicial, principalmente a idealizada pela mulher, é puramente romântica, por isso, o romance ainda tem muito futuro pela frente.
_Beijos.

Lulu disse...

O amor romântico é muito bem definido no Livro WE - A Chave da Psicologia do Amor Romântico, de Robert Johnson, em cima da análise do mito de Tristão e Isolda. Excelente. Quem ainda não leu, recomendo.
Adoro a Regina Navarro. Tenho um livro dela, também muito bom, "A Cama na Varanda". Vale a pena ler, é muito interessante.
Beijos para todos, tenham uma ótima tarde de quarta-feira.

Alda disse...

Passei para desejar um bom fim de semana com tudo de bom!
Um beijo

Fatinha disse...

Eu sou a favor da familia.Na atualidade acho que isso está ficando pra segundo plano, por conta dessa busca frenetica pelo prazer.
Viva o amor romântico.
Viva o ramalhete de flôres.
Beijo
Obs: e ai,o café fica pra quando eu viajar!!????rsrsrs

Mª do Rosario - Ro disse...

Eliane, tô sem conexão para comentar só consigo pensar em todos ai no RJ.
Assisti o JN, e fiquei ainda mais abalada. Como digo Só por Deus! bjs

Eliane Furtado disse...

Obrigada a todos que passaram por este tópico.
Não voltei, porque como disse a amiga Rosário, estou sem fala. Aliás estamos todos.
Bom dia.

Daniel Savio disse...

Será menina?!

Hua, kkk, ha, ha, até entendo amar por duas pessoas ao mesmo tempo, mas sei lá, não consigo colocar isto no mesmo patamar (tipo e amo a duas pessoas da mesma forma).

Fique com Deus, menina Eliane Furtado.
Um abraço.