sexta-feira, 20 de junho de 2008

O Visconde

Interessante como algumas notícias mexem tanto com a gente. Mas é claro que isto não será motivo para ficar triste demais e não dar valor ao finde, que se aproxima.
Mas queria repartir com vocês.
No decorrer de 2007, fui à minha clínica no bairro do Catete, zona sul do Rio, para tomar alguns remedinhos. Lá encontrei o ator André Valli, o Visconde de Sabugosa, do sítio do Picapau Amarelo. Fiquei pensando que, com certeza, ele ali estava pelo mesmo motivo que todos: se cuidar, se tratar. Discreto, quieto, calmo, observei que não era de muita conversa. Cruzei com ele outras vezes, e guardei silêncio. Como é difícil às vêzes para um jornalista guardar algumas notícias. Mas eu não tinha este direito.
Então, esta tarde de sexta feira, quase começo de inverno, leio a notícia na internet:
-"O ator André Valli, consagrado no papel do Visconde de Sabugosa da série "Sítio do Picapau Amarelo", do escritor Monteiro Lobato, morreu de câncer, na manhã desta sexta-feira, aos 62 anos. Valli morreu no apartamento onde morava, em Copacabana, na zona sul do Rio."
Valli deu vida brilhantemente ao personagem de Monteiro Lobato. Fêz a alegria de milhares de crianças e marcou presença em muitas novelas da Rede Globo e Rede Record. Enfim, marcou seu nome na história da televisão, teatro e no cinema. Cumpriu bem sua missão.

2 comentários:

isabelle disse...

Eliane se para você foi difícil encontrar com o André Valle na clínica, imagine para mim que fui criança em seu tempo de Visconde. Era fã do mais inteligente do Sítio do Pica Pau Amarelo. No dia que o vi pela primeira vez não acreditei e tive que me retirar do salão e ir derramar lágrimas lá dentro, na farmácia, pois aquilo não estava escrito nos capítulos do Monteiro Lobato. E foi realmente difícil para mim, mas com o passar do tempo passei a vê-lo como mais um paciente especial, como todos, que o Deus, todo poderoso, colocou nos capítulos de minha vida para eu cuidar.
Saudades, Isabelle

Eliane disse...

Isabelle, cada pessoa que se vai, o meu coração aperta. Sei que cada um tem sua história, sua trajetória.
Mas aceitar tudo isto, requer fé, coragem e um entendimento muito grande. Muito grande.
bj