sábado, 26 de março de 2011

Envelhecer

Tenho acompanhado o processo de envelhecimento do meu lindo cão Akita, Shiro. Aliás, todo mundo vai envelhecer. E ninguém escapa disso. Ele já tem 12 anos, o que para um cão do porte dele são quase noventa anos. Ainda está garboso, continua guardando como nenhum outro o território dele e a dona que o mima. Dizem que cães menores vivem muito, mas os de grande porte menos. Amigos meus falam que ele é meu xodó. Claro que amo minha Akita peralta, par do magnífico. Ela é a sapeca que virou estrelinha do meu terceiro livro. Mas Shirô merece hoje mais atenção. Os dois são muito cuidados. Água fresquinha, comida de primeira, passeios e dois veterinários (chiques não?). Entendo quem detesta cachorro. Despesas, compromisso e comprometimento. Nunca tive um cachorro. Já falei por aqui. O Akita Shiro - cão dos Samurais que morre pelo dono(a) - foi o primeiro. Alegrou a vida de meu pai, minha madastra, correu atrás de amigos, pintou e bordou e colecionou histórias, nos divertiu e guardou e guarda meu recanto com firmeza. Até a veterinária tem cuidado ao tocá-lo.
É muito importante aceitar o processo de envelhecimento. Aceitar os limites, entender e ter paciência, muita paciência. Claro que dá trabalho. Mas e as alegrias que ele já proporcionou? Nessas horas muitos esquecem. Deve ser assim com nossos velhinhos também. Nem todos aguentam enfrentar este momento, mas é preciso. Mesmo com tantos sacrifícios tem valido muito a pena ver aqueles olhos gigantes, aquele rabo balançando cada vez que eu apareço no portão.
Amigos, bom dia. Dia de arejar a cabeça. Volto segunda, mas acho que a saudade pode apertar e volto para visitar meus parceiros. Até lá!

9 comentários:

A vizinha cansada da VSouto disse...

complicado mesmo aceitar o envelhecimento, Infelizmente todos chegamos lá. Nunca quis ter um bicho de estimação pra não ter que passar por mais esse processo de desapego. Mas acho lindo quem tem um bichinho assim como companheiro e amigo.

chica disse...

O envelhecimentop é papo lomngo pra falar e pensar...Aceitá-lo sim, mas ele dveria chegar sem s poerda da dignidade, o que tenho acompanhadoi com minha mãe e isso deixa a todos triste. Seria bom que fosse uma coisa simples, sem tantas etapas a passar e que pudéssemos ver nossso velhinhos( eu já tô quaaaaaaase lá,rsrs_ sem perder e independência, vontades e parecer robôs) Ontem assisti na minha mãe, enfermeiras comentando DELA na sua frente como se não existisse. Lógico que tuivemos que dar um chega pra lá!!! Óbvio!!! Não podemos admitir isso.mas é asim...falam como se ali não mais houvesse vida e ainda HÁ! E acompanhada da SURDEZ VOLUNTÁRIA e a MUDEZ quando lhe convém...


Bom,falei demais! lindo fds com o velhinho cachorro que também precisa carinhos sempre!chica

a vizinha da VSouto disse...

Chica, só te conheço daqui dessa coluna mas fiquei muito triste com o que vc contou. Sei que é assim mesmo que as coisas acontecem e que muitas pessoas nãi tem o menor respeito por esse tipo de problema. Releve isso porque elas são despreparadas e insensíveis. É muito dificil lidar com esse tipo de doença e nos mesmos, os parentes, as vezes nos irritamos. Fique triste não, o importante é estar por perto e dar sempre o carinho que merecem.

Maria Cecile disse...

Olá Eliane, boa noite!
Tive um cachorro até a adolescência, quando chegou sua hora de partir. Acho que isso me deixou um pouco receosa de ter outros e passar de novo por esse desapego. Talvez um dia pense em ter um. Mas reconheço que no momento, enlouqueceria. Também reconheço que são seres especiais.
Um beijo pra ti e abraços apertados nesses fofos! E bom domingo também.

Dragão com SAUDADESSSSSSSSSSS disse...

Bommmmmmmmm diaaaaaaaaaaa, Bommmmmmmm diaaaaaaaaaaaaaaaaaa
Bommmmmmmmmmm diaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa

linda Hortensia, saudades de você viu?

Inté mais no quintal

Tati disse...

Eliane, queridíssima!!!! Espero que você esteja tão bem quanto a beleza dos seus posts. Apesar de não comentar sempre (não é meu estilo), passo diariamente por aqui.
Amo cachorros! Entendo perfeitamente todo seu cuidado com seu Shirô. Afinal, assim como uma pessoa, nossos cãe devem ser cuidados e respeitados. Todos tem sua vez de nascer,crescer, envelhecer e morrer. E envelhecer é mágico... junta a vulnerabilidade com a experiência. É incrível!!!

Que no mundo, aumente a cada dia mais, pessoas especiais como você, para cuidar dos velhinhos com amor e dedicação. Sejam os velhinhos pessoas ou cães.

Admiração master por você!!!

Paz e Luz!!

Flor de Lótus disse...

Bom dia, Eliane!Ontem eu assisti Sempre ao seu lado e lembrei-me de ti, justamente por causa do Aquita, acabei adormecendo antes do final do filme,mas é maravilhoso ver a fidelidade e amor do cão pelo seu dono.
Envelhecer realmente é um processo delicado e que exige de nós muita paciência para lidar com quem está envelhecendo.
Um ótimo domingo!
Beijosss

Cristina disse...

Eliane, recebi um selo dos blogs que merecem ser lidos e quero retribuir esse selo para você. Passa no meu blog e anexa o selo no seu seguindo as instruções. Um abraço!

Eliane Furtado disse...

Super Vizinha, não mude prs Barra. Falta apenas 1 mês para bate estaca.