sexta-feira, 5 de março de 2010

Pense no privilégio da situações que você viveu


"Fica, oh, brisa fica, pois talvez quem sabe, o inesperado faça uma surpresa..." ( Eu e a brisa, Johnny Alf)

Viver uma situação limite e nunca se desesperar é uma qualidade que poucas pessoas possuem. É tão humano deixar a peteca cair, ficar sem rumo, se perder um pouco. Mas tem gente que consegue segurar os reveses da vida de uma forma muito serena. Surpreendentemente.
Tudo indica que o músico Johnny Alf viveu e morreu assim: sereno. Pelo menos foi o que declarou hoje aos jornais o empresário dele. Johnny Alf, um dos padrinhos da Bossa Nova, morreu aos 80 anos, de câncer de próstata. Viveu 10 anos em tratamento. Nunca foi reconhecido como merecia ser e aceitou com dignidade tudo que a vida lhe proporcionou.
Mas por mais que a gente se esforce, nem todo mundo consegue encarar a vida assim. Ainda mais as perdas. De uma forma tranquila. Falo não só de perdas pela morte, mas das perdas que sofremos em vida. Das separações, decepções, das perdas da saúde, de desencontros definitivos.
No começo desta semana um dos amigos de meus pais se despediu também daqui. Seu Maurício, marido da querida Angelina, que participou de bons momentos da minha história. Um capítulo que se encerra? Ah não. Não dá para encarar assim. Constatei isto ao receber um texto lindo da filha dele, a amiga Iamna, seguidora deste Blog.
"O que a gente teve não perde. As lembranças estão dentro da nossa memória. Quando uma tragédia assim acontece, o que se perde é o prosseguimento, é o futuro...Não se perde alguém que existiu, o que se perde é uma expectativa. Isto não é um consolo, mas pode ajudar a retomar a vida...". É do psicanalista Luiz Alberto Py, que nos lembra também que devemos pensar não no que se perdeu. Mas no que tivemos o privilégio de viver."
Sei que isto não ameniza nossas saudades. Mas pode nos acalmar um pouco.
Mas o que pode nos acalmar ainda mais é a música. Ela mais que tudo nos faz relembrar os privilégios que tivemos nesta vida. E que ainda teremos. De conviver, de trocar e de abraçar uns aos outros. Enquanto é tempo.
Ah e um aviso para aqueles que acham -que pelo texto -eu vou bem eu vou mal eu estou triste...
Nada dixxxxo como diz Joaninha. Estou firme. Pelo menos, tento Ksksksksk.
Cercada sempre pelo carinho de vocês. Um privilégio.
Deixo aqui minha sugestão. Os links do documentário sobre Johnny Alf. Não percam.

http://www.youtube.com/watch?v=hKc70zyVxbk&feature=related
http://www.youtube.com/watch?v=zZiaa8IGSg4&feature=related
http://www.youtube.com/watch?v=TT7g06w_jMw&feature=related
http://www.youtube.com/watch?v=TT7g06w_jMw&feature=related
http://www.youtube.com/watch?v=TMHn5MQPv1E&feature=related

17 comentários:

Rodrigo disse...

Bom dia !!!!

Bom dia "THE BOSS" !!!

Viver é aprender não entender e embora teimamos que se tenha que aceitar, também não.

Ora, viver é respeitar as nossas não conformidades, os nossos queres não satisfeitos (não confundir com se resignar. Esmorecer? nem pensar...)

É aquela historinha: (...)

A vida não é boa...
Não é má ou cruel...
A vida é avassaladora !!!

Olhar para trás, lembrar, reviver, reavaliar, faz parte, coisa que dá em gente, feliz e contente.

Só assim para se seguir em frente,
e reinventar o que vem pela frente (pelo menos ter garra e coragem e ousadia para tentar).

A vida é curta, a jornada é longa e por vezes depende exclusivamente de nós para firmes sermos o timoneiro dessa viajem.

É preciso acreditar para não se enroscar...

Beijos, e um find porreta para todos nós.

Rodrigo

Silvana disse...

Bom dia blog, bom dia Lili de novo vc acerta em cheio com seu jeito especial de dizer as coisas, a gente tem mesmo de aceitar o que a vida nos impoe, mas nao como disse o Rodrigo com a resignacao da coisa imposta. O passado pode ser um mal ou um bem depende de como tiramos as licoes dele. As lembrancas que temos das pessoas sao postas em uma balanca qd elas se vao, e depende do que essas pessoas foram para que as lembrancas sejam boas, ruins ou meio a meio. Beijos para todas(os)

Rodrigo para Silvana disse...

Silvana, olá.

Acha que ouve uma confusão:

Ora, viver é respeitar as nossas não conformidades, os nossos queres não satisfeitos (não confundir com se resignar. Esmorecer? nem pensar...)

Respeitar é diferente de aceitar, uma longa distância.

Longe de mim esmorecer...
Sigo em frente e como sigo !!!

Lulu disse...

Bom dia, Eliane, bom dia blog. Realmente, uma grande perda... Johnny Alf fez parte dos bons momentos de minha adolescência, eu inclusive tocava "Eu e a Brisa" no violão, era uma de minhas músicas prediletas naquele tempo. Mas como disse sabiamente o nosso querido Quintana, "que importa restarem cinzas se a chama foi alta e forte?"
Existem pessoas assim, que com sua chama alta e forte nos aquecem, nos iluminam, são elementos de transformação. E muito bem colocado também o que diz Luiz Alberto Py. É por isso que devemos sempre aproveitar os bons momentos, sorvê-los até, porque além de ficarem na nossa lembrança, também nos fortalecem nos momentos de angústia e apreensão, nos reveses da vida.
Mil beijos, tenham uma ótima sexta-feira.

Alexandre F Maurity disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Alexandre F Maurity disse...

Eliane e Blog,

Para mim viver é como Tim Maia viveu dizendo várias pérolas como:

“O que nós temos de melhor no Brasil são a música, o futebol, o jogo do bicho, a batata doce e o baseado – temos que exportar isso.
E ainda temos o Maguila, que vai matar o Mike Tyson. De susto, mas
vai.” (em sua divertidíssima entrevista de lançamento de sua
‘candidatura’ a prefeito da Barra da Tijuca pelo PLG – Partido Liberou Geral)


“A diferença entre eu e o Dicró é que no meu show todo mundo vai e eu não vou; no dele, ele vai, mas não vai ninguém” (atirando no pagodeiro Dicró, que teria dado razão ao Canecão no cancelamento de um show de Tim em fins de 1986)


“Fiz uma dieta rigorosa. Cortei álcool, gorduras e açúcar. Em duas
semanas, perdi 14 dias.” (em 1973, quando ousou perder peso num
tratamento ‘revolucionário’ numa clínica em Bonsucesso, onde só tomava caldinhos, papas, sucos e comia folhas).


“Esse espanhol é do ETA (Exploradores do Talento Alheio)! É um escravagista! Ele merece!” (confabulando com Tibério Gaspar sobre uma ‘operação punitiva’ ao empresário Chico Recarey, dono do Scala.
Num show, Tim convidou garis, mendigos, flanelinhas, garagistas e porteiros e os colocou na primeira fila)


Pois é, viveu, curtiu e morreu muito feliz como Johnny Alf !!

Isso é saber viver mesmo com as dificuldades internas e externas.

Bjs,

Silvana consertando disse...

Tem razão Rodrigo pensei uma coisa e escrevi outra....isso é que dá não fazer a revisão. Abracos Bom fim de semana para todos.

Fátima disse...

É importante não se esquecer dos previlégios e presentes que recebemos.Quando não for a época de colheita ,se tivermos em nosso estoque essas lembranças, não nos sentiremos coitadinhos.Só estamos passando por outra fase.
Vamos usar a memória a nosso favor.

Fátima disse...

Ah!Esqueci!!!!
Viva Tim Maia!!!

Eliane disse...

ALÔ ALÔ,AQUI
LILI, ELIANE, FLOR DO LEME E DE OUTROS JARDINS-KSSKKSKS- DONA DO BLOG, THE BOSS SEGUNDO O RODRIGO,JORNALISTA EMOCIONADA E GUERREIRA,EX ALUNO DO SION E ASSUNÇÃO, E MAIS UM MONTÃO DE APELIDOS CHEGANDO NA ÁREA.
Grande tarde a todos.
Sempre o prazer ver vcs por aqui. Sexta-feira bate um cansaço né?
Obrigada pelas postagens e pela leitura. Já recebi telefonemas hoje sobre o texto. Turma que não posta mas observaaaaaa.ksksksksksk
E toma conta!

kiki disse...

Passei p/ deixar beijosssssss

Lili p/Kiki disse...

Ai que ótimo. Ando precisando tanto de beijos. De todos os tipos.
Não me canso de beijos.

Dragão p Lilizinha disse...

"O que a gente teve não perde. As lembranças estão dentro da nossa memória."

Lili, AMEIIIIIIIIII esta frase!
É isto aí as nossas lembranças ninguémmmmmm rouba são nossas PARA SEMPRE!

Lindo FINDE queriduxa, beijins, beijins

Camélia do Cerrado disse...

Hortência - Linda Flor da Serra

Gostei muito da mensagem de Dalai Lama.
Perguntaram ao Dalai Lama:
"O que mais te surpreende na Humanidade?"
E ele respondeu:
"Os homens... Porque perdem a saúde para juntar dinheiro, depois perdem dinheiro para recuperar a saúde. E por pensarem ansiosamente no futuro, esquecem do presente de tal forma que acabam por não viver o presente e nem o futuro. E vivem como se nunca fossem morrer...
... e morrem como se nunca tivessem vivido".
Verdade, não acha?
E vamos viver cada dia intensamente.
Bom finde. Bjs mil
Camelinha

Casal de Cisnes disse...

O ano de 2009 mostrou ao cisne que meio século de existência não foi suficiente para alcançar a serenidade para lidar com perdas, mesmo com o privilégio das situações que viveu e das maravilhosas pessoas com quem conviveu. Logo no início daquele ano recebe a notícia de uma bala perdida que atingiu uma mente brilhante. Um de seus alunos mais exemplares, tanto no sentido intelectual quanto humano, foi comemorar na Lapa o grau nove e meio na mais exigente das últimas disciplinas de seu curso na universidade e sua vida é interrompida precocemente.
Passou com seus alunos momentos difíceis tentando entender seu rápido retorno ao lado de Deus, de onde na verdade nunca deixou de estar. As reações foram variadas, buscando a solução de uma equação que não existe. Na aflição da tragédia o cisne releu sua edição amarelada da “Divina Comédia” de Dante, o Canto III do Inferno, onde Dante lê e dá, no seu poema, a inscrição que na porta ele imagina existir, terminando com o verso: “Deixai, ó vós que entrais, toda a esperança” e não teve condições de ir ao seu enterro.
No momento de sua missa de sétimo dia, de cama e com febre alta, o cisne pede a Deus, mudo e longe de os amigos que sofriam com ele, que iluminasse uma mensagem. Imediatamente, com lágrimas nos olhos, retorna à Divina Comédia e percebe sua cegueira. Abre-a então nos versos 22 a 25 do Canto VII do Paraíso, e no último do Canto XXXIII: “À fantasia aqui valor fenece; Mas a vontade minha a idéias belas, Qual roda, que o motor pronta obedece, Volvia o Amor, que move sol e estrelas.”
Hoje o cisne teve o privilégio de ter sido convidado como Paraninfo de seus alunos na Colação de Grau do próximo dia 16 e ter a emoção de saber que seu saudoso aluno Victor Muanis foi escolhido como o Patrono de todas as turmas de engenharia da UFRJ no mesmo dia, pelo belo exemplo que deixou de superação e esperança...

LULU para CISNE disse...

Nossa, Cisne, você sempre me emocionando e enriquecendo com suas postagens.... é muito bom encontrar pérolas desse quilate aqui no blog.
Você apela para Dante, eu apelo para a equação mais conhecida do mundo: E=m.c2. Segundo a Teoria da Relatividade, massa e energia são duas formas da mesma coisa, e uma não existe sem a outra. Somos luz capturados gravitacionalmente. Somos onda e partícula, de acordo com a física quântica. E uma das coisas que essa equação nos mostra é que não existe a morte: existe a eternidade...somos e seremos sempre eternos. Somos e seremos sempre luz, ondas mesclando-nos com tudo o que existe, e assim existindo em tudo.
Parabéns pelo convite para ser Paraninfo, com certeza um justo reconhecimento de seus alunos pelas suas qualidades como professor.
Mil beijos para todos, tenham um ótimo sábado e um lindo final de semana.

Eliane p/Cisnes disse...

Tenho pouco a falar ou comentar sobre a postagem dos meus cisnes.
Lulu disse tudo.
Apenas pergunto: como vou ficar esta semana sem a companhia dos meus cisnes?
Sem os olhares amigos e sem a troca de energia?
Sentirei saudade.