quinta-feira, 2 de setembro de 2010

"Olhos que não vêem, coração não sente."


A atriz Catarina Zeta-Jones disse à revista "People" que não está preparada ver o marido, o ator Michael Douglas passar pelos efeitos e reações do tratamento contra o câncer. Afirmou que a pior parte é a fadiga, porque nunca viu Michael cansado na vida.
Bem, não podemos exigir que todas as pessoas sejam emocionalmente maduras.
Outro dia conversando com minha terapeuta, Maria Teresa Lago, coloquei algumas inquietações sobre pessoas próximas e que tem tido uma atitude indiferente em relação ao meu caso. Na verdade, não me surpreende, porque em outras ocasiões - e com outras pessoas -, estes seres humanos tiveram reações semelhantes. De afastamento. "Olhos que não vêem, coração não sente."
Maria Teresa então me falou de pessoas que não sabem-de jeito nenhum- lidar emocionalmente com problemas, sejam do dia a dia, sejam grandes empreitadas. Mas com o meu temperamento entendo mas não compreendo. Rs. É que é muito egoísmo se esconder atrás da cortina para se proteger. E não pensar naquele ente querido que, muitas vêzes, só precisa de um gesto, uma piada, um alô. Mas pessoas assim não querem mudar, não querem ajuda e preferem tocar a vida distante de aporriações.
Ninguém na vida está preparado para cuidar e ver alguém que ama, doente. Ainda mais se este alguém sempre foi elétrico(a) e cheio(a) de vigor. Mas é exatamente nestes momentos que vemos qualidades como o desprendimento, o amor, a generosidade, o sacrifício, a superação de sentimentos ruins e o envolvimento ou do parceiro(a) ou de familiares e alguns amigos.
Torço que a bela Catarina resista. Porque a batalha é longa e duríssima. E o Michael vai precisar dela por perto. E torço para que os emocionalmente fracos queiram cuidar de suas cabecinhas um dia. Mas acho difícil. É uma questão de querer.
Blogueiros amados, amigos e leitores, nos próximos dias ficarei um pouco ausente do Blog. Volto logo com novidades. Mais cedo do que vocês imaginam. Enquanto isto, sintam-se em casa.
De onde estiver, estarei lendo tudinho.
Um beijo em cada um. Força e fé sempre!

32 comentários:

Cecile Azambuja disse...

Bom dia Eliane!
É muito triste realmente numa hora de dificuldade as pessoas que a gente tinha perto nas horas alegres, se afastarem, não participarem, ou sequer demonstrarem afeto. Acho que aqueles votos de casamento, na alegria e na tristeza, na saúde e na... deviam estar subentendidos pelo menos para os parentes. Mas nem sempre os laços de sangue são os mais apertados, não é.

"Olhos que vêem, coração cresce!"

E já que é para ver, olhe como o dia está bonito!

Beijos e te aguardamos!

Dama de Cinzas disse...

Enfrentei problemas de saúde bem chatos durante minha vida, passei por várias cirurgias e esse ano estou com uma limitação que está tirando o brilho da minha vida...

Sem sombra de dúvida que saúde é o que temos de mais importante, sem ela nada tem graça, nada!
Beijocas

Eliane Furtado disse...

Bom dia Cecile, cada um é cada um. Não é mesmo?
A gente vê cada coisa não é?
Querida Dama, quando não brilhamos de um jeito, temos que fazer brilhar de outro.
Em frente, procurando o brilho.
Beijo nas duas madrugadoras como eu.

Lulu disse...

Bom dia, querida amiga, bom dia, blog. Não, Eliane, não é egoísmo esconder-se por trás da cortina. É um mecanismo de defesa, de caráter inconsciente. Pode ser, por exemplo, uma negação, que é a tentativa de não aceitarmos na consciência algum fato que nos perturba. Então, é como se aquilo não estivesse acontecendo ou como se sua gravidade fosse minimizada ou até mesmo distorcida. É um mecanismo que diminui a ansiedade causada pelo fato, e é até considerado comum acontecer (desde que não seja uma coisa excessiva, pois aí já caracteriza uma neurose ou até mesmo psicose). Pode ser também que a pessoa esteja reprimindo ou recalcando seus sentimentos, por serem muito dolorosos, o que implica não propriamente num "afastamento", mas em um isolamento desse conteúdo mental, que é assim "empurrado" para o inconsciente... mas pode ter certeza que não é indiferença, pois de algum modo a pessoa está sofrendo e, com certeza, precisa de ajuda. Mas para isto, é preciso reconhecer que precisa, senão... nada feito.
Mil beijos, tenham todos um ótimo dia.

Chica disse...

Ninguém está preparado,mas temos que dar umjeitinho e arrumar forças pois eles precisam de nós.

Ser fortes, acreditar e passar essa força nas atitudes.

Uma boapasua pra ti, beijos,fica bem e tudo de bom,chica

AGNALDO NO ESPELHO disse...

Eliane querida,

Sobre a auto-proteção, a indiferença de certas pessoas, sua dolência diante de quase tudo, Francisco Octaviano escreveu o seguinte:

"Quem passou a vida em brancas nuvens
E em plácido repouso adormeceu,
Quem não sentiu o frio da desgraça,
Quem passou pela vida e não sofreu
Foi espectro de homem, não foi homem,
Só passou pela vida, não viveu".

Acho que não precisa dizer mais nada...

Quanto à promessa que fiz à você e à Celile em meu recado de ontem, já fiz a postagem lá no meu blog.

Super beijo.

AGNALDO NO ESPELHO disse...

AGNALDO PARA CECILE,

Conforme prometi ontem, fiz a postagem no blog e o texto as espera (para continuarmos discorrendo sobre nosso assunto de ontem).

Super beijo.

Eliane Furtado disse...

Tudo bem Lulu, mas não aceito. Para mim será sempre indiferença. Sempre. Tem coisas que não dá para teorizar: afeto.Um beijo querida.

Eliane Furtado disse...

É isto Agnaldo, é isto. um beijo e um abraço.
Bom dia Chica. Dia desafiador.

jungleworldcitizen disse...

Boa tarde, Eliane :)
Afastada estive eu em comentários por aqui, mas a leitura está em dia, estava em "retiro preguiçal" e falo isso sem vergonha, hehehe.

Ninguém quer ver quem ama sofrendo, nunquinha mesmo. Por isso, é importante que estejamos presentes para apaziguar o sofrimento quando este é inevitável. Como você disse, um alô, um gesto de carinho, por menor que seja, podem fazer a diferença ;)

Eu nunca a vi, a gente pode até ter se esbarrado quando eu morava no Rio. O que não me impede de nutrir um carinho por alguém que tem coisas interessantes pra compartilhar e luta tão bravamente.
E só pra constar: quando você estiver por essas bandas de cá, let me know, adoraria tomar um café com você :)
Um abraço, fique com Deus e bom fim de semana!

Vera do sulllll disse...

Bom dia Eliane!
Bom dia Blog!
Li, não sei onde que a linda Catarina estava desapontada com os médicos que demoraram muito no diagnóstico do marido.
É como brincar de contente,enquanto, eu fazia quimio eu lia muito ou então assistia uma novelinha que estva passando,me parecia que não assistir aos procedimentos, não ocorria o registro na minha cabeça e nem a dor... Pode parecer coisa de criança,mas temos que usar certos mecanismos para driblar o sofrimento.
Meus melhores pensamentos para você grande guerreira.
Com certeza tudo ficará bem.
Bjs do sul, hoje nublado mas com pouca chuva...

IsaLenca disse...

Custa mas depois ficamos com o coração quente.

O meu pai e a minha amiga Cláudia partiram. Foi horrível e muito custou acompanhar este processo final (do meu pai tive 3 meses de licença do trabalho para tentar estar o máximo com ele) e com a minha amiga sempre que podia mas muito menos. Depois dela morrer não queria saber de blogues nem de conhecer mais pessoas doentes (a minha mãe também já tinha tido um AVC muito forte e mudou tudo com ela) mas ao final de 3 meses regressei - achei um egoismo tremendo da minha parte abandonar amigas- primeiro apenas virtuais e depois agora já conheço e sou amiga de "carne e osso" de muitas. Agora não despego mesmo- sou tipo goma: não custa falar, dar mimos na altura certa, também "puxar" as orelhas volta e meia, e ouvir e escutar com atenção. Enfim, ser amiga. Isso não custa nada (por mais que nos doa)- choramos quando choram e rimos quando riem. Sobretudo, tento que se riam mais vezes e ocupem a cabeça com outras "maluqueiras" mais saudáveis e positivas, como eu costumo dizer... É importante transmitir força. É adorável sentir e verificar a força delas, mesmo que esteja muito à superfície, eu aprendo muito com todas, todos os dias. É que a vida é bonita demais e não vale a pena complicarmos e ser mesquinhos. Há que aproveitar o bom que as pessoas têm (pelo menos algumas pessoas, bem entendido). Agora digo que tenho imenso orgulho em ser amiga delas- em poder fazer parte deste grupo de Mulheres Guerreiras porque perto delas sou eu que estou a ficar mais rica e a reaprender o que é viver a vida!

Tudo de bom para ti Eliane! Bjs

IsaLenca disse...

Nota: não sei o que me leva a escrever estes comentários tão grandes. Há qualquer coisa nas palavras da Eliane que me atraem e me fazem "falar"...a sério!

Rodrigo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rodrigo disse...

Bom dia "The Boss.Ph" !!!
Bom dia Blog !!!

Amadurecer não é deixar para trás ou superar nossas não conformidades ou
digerir nossos fracassos degustar nossas vitórias.
Amadurecer é ter tudo isso e aprender como lidar, driblar.
Outro ponto, é que só podemos dar, ceder ou partilhar aquilo que possuimos. O que foi cemeado em nós ou que tenhamos aprendido.
Na vida, que corre solta, não existe cheque especial ou cartão de crédito. O pagamento é sempre a vista.
Enfim: "Você pode plantar tudo o que quiser e desejar mas, sempre colherá o que plantou..."

Beijo, força na peruca!!!!!!!!!!!!

Rodrigo, Wall e Enzo

2 de setembro de 2010 09:41

Fatinha disse...

Acho muito louco isso, de tentar não sentir o que de fato sente!
Um fato é um fato!Se quem amamos está mal estaremos tambem...é fato! Se demonstramos ou nos enganamos...aí é outra coisa...talvez defesa...ou fraqueza.
Ah!Minha missão por aqui termina dia 17 de setembro! rsrsrs
Depois vou pro Rio como diria Silvio Santos"em ritmo de festa..."
Vamos comemorar os aniversariantes de setembro!?!?
Beijo

Lilian disse...

Eu também convivo com a indignação de ter sido "esquecida" por pessoas que se diziam tão próximas, tão amigas. Tento, mas não há como sentir a dor do desafeto,a desculpa? Muito trabalho, muitos compromissos, entendo, também já vivi nessa loucura, mas poxa, um alô não leva mais que 3 minutos, um abraço, um bilhete, sinal de fumaça, qualquer coisa que transpareça que se importa com minha dor.Que eu não amei em vão.
Mas nem tudo está perdido, quanta gente nova conhecemos, vemos se preocupando conosco, quantas pessoas nos surpreendem com sua presença...

Maria "A Carioca" disse...

Estas pessoas, na verdade, são mais que egoístas. Elas tem medo que a doença aconteça com elas, sabe? Transferência? Quando olhamos para alguém muito doente, percebemos a verdade como ela é, ou seja, temos que encarar a nossa fragilidade. Temos que ver, que aceitar que somos passíveis de adoecer, que não somos onipotentes, que um dia vamos morrer.
Àqueles mais prepotentes, mais orgulhosos, mais ligados a matéria, sofrem mais. Não seguram mesmo a onda. É como criança mimada que sabe que tem pernas, que pode andar, mas quer o colo da mãe. Não aceita o desenvolvimento, o lado "ruím" de crescer.
Acredito que todos estamos aqui para um processo de evolução. Sendo assim, precisamos ter paciência com os que ainda são muuuuito "mimados" emocionalmente. É difícil não se magoar com atitudes desta natureza, mas é preciso tentar entender.
Lili, bom tema e aguardo o próximo post.
bjsbjsbjs para vc!!!!!

Zel Bengalinha Paulistana disse...

Alô, alô, Sampa chamando Rio!!!!!!
Bom dia blog!

Eliane, vixiiiii, tenho visto "este filme" constantemente, rsrsrsrs...
No início sofria pelo estranhamento/afastamento de algumas amizades. Era tão difícil entender esse comportamento. Me senti traída várias vezes.
Hoje tenho pena destas pessoas, porque como bem diz o poema que Agnaldo postou, elas não vivem, elas apenas existem...

"A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida
está no amor que não damos, nas forças que não usamos,
na prudência egoísta que nada arrisca, e que, esquivando-se do
sofrimento, perdemos também a felicidade.
(Carlos Drumond de Andrade)

Querida, vamos aos FFFs, ok?
Beijão
Zel

Alda disse...

Querida Eliane,

Várias coisas eu aprendi com a doença... uma delas é não perder tempo com quem não merece!
Isso tem um nome, é egoísmo puro!!!
Também aconteceu comigo!!!

Essas pessoas não eram nossas amigas podes crer, em contrapartida aparecem outras que nem sabíamos que existiam, e que nos dão tanto apoio e força! Acredita que assim fica separado o trigo do joio!
Nada acontece por acaso...
Perder tempo com quem não nos merece, é um desgaste muito grande, e nós precisamos de muita e boa energia!
Bola prá frente!

Desejo que tudo corra bem contigo!
FORÇA, DEUS ESTÁ AO TEU LADO!!!

Beijinhos

Serpente d´Água disse...

Bem, Eli acho que nem tem no dicionário alguma palavra que defina uma pessoa assim. Não dá para entender bem. Talvez, assustadas, covardes, fazem de conta que o mundo continua cor de rosa. Tipo criança que fecha os olhos e faz de conta um outro mundo? São pessoas totalmente despreparadas para a batalha da vida. É se engana que assim ficará à parte, livre, salva. Vamos fazer uma pequena alegoria: é a criança que só molha os pés na água do mar, sem nunca se aventurar a entrar, de repente vem uma baita onda e o arrasta. Não estava preparado, não sabe nadar - lascou-se!!! Mais curioso ainda é que esse mesmo tipo de pessoa se voltará para os mais fortes, para aqueles mesmos que evitavam, com medo, e vão pedir ajuda. E mais, vai recebê-las. Porque existe aquele outro lado da moeda, daquelas pessoas que estão sempre dispostas a ajudar, mesmo com o coração a sangrar, mesmo cansado, mesmo desiludido. Em algumas pessoas, apesar de todas as batalhas da vida, resta sempre um calor humano que nunca se apaga. É o seu caso minha querida.

Flor de Lótus disse...

Olá,Eliane!Lidar com uma pessoa doente nunca é fácil e ter sensibilidade para isso é para poucos, muitos preferem "tapar o sol com a peneira', eu já encarei poucas e boas com relação a doenças, já cuidei da mniha mãe e da minha vó e foi bem complicado, principalmente quando minha mãe teve problemas que afetaram o raciocínio dela e ela não falava nada com nada, nossa percebi o quanto somos frágeis...
Uma ótima sexta!
E volte logo!
Beijosss

comunicadoras disse...

FORÇA e MUITA FÉ sempre Eliane! É assim que tenho pensado em você e na Ro todos os dias. Conheço pessoas assim...que se afastam quando mais os amigos delas precisam; nunca as entendi muito bem, porque eu faço precisamente o contrário. É certo que não é bom vermos os nossos mais queridos doentes, mas temos que aprender que é nessas alturas que estão a precisar de nós e pt temos de estar presentes. Nunca pensei que fosse capaz de cuidar de uma pessoa acamada, ficar acordada de noite, trocar fralda, lavar etc.; tive essa experiência com a minha sogra de quem gostava muito; tive que ganhar coragem e ajudar os fillhos nessa tarefa. Fui capaz? Claro que fui. Custou? claro que custou, ainda mais porque ela só esteve doente aos 89 anos, quando acamou e ficou um mês, mais ou menos, quase como um vegetal.É assim...custa, mas é nessas horas que sabemos quem é nosso amigo, quem é que tem alguma consideração por nós e quem realmente nos ama.Um beijinho, amiga, carregadinho de Esperança e FORÇA. Voltarei para saber como estás
Mila

Cristina disse...

Eliane

Se eu fosse escrever aqui tudo que já passei por conta de pessoas que se afastaram, que não " lidam" com problemas... Muitas foram embora, outras só falam " isso não é nada" , mas por conta de algum probleminha bobo ficam apavoradas. Cuidei de minha mãe e até com a família tive esses problemas, por mais grave que era a situação, tapavam o sol com a peneira falando que estava tudo bem, não se envolviam,me desgastei muito. Um dia elas crescem espiritualmente, com certeza, a vida há de ensinar. E você minha amiga força e fé, que tudo fique em paz! Um abraço cheio de carinho para você! Bjsssssssss

Silvana disse...

Boa noite Blog. Boa noite Lili. Incrível este seu post hoje. Por mais incrível que pareça foi o tema de minha sessão de terapia hoje, tentar entender o não posicionamento das pessoas diante do sofrimento ou da dor de outra pessoa. A dor para alguns é paralizante, elas não conseguem tomar uma mínima atitude e se fecham em copas, falo de uma dor generalizada, a dor do medo, a dor do erro, a dor da perda, a dor da cegueira da dor. Isto tudo se passa em nível inconsciente, depende muito da carga emocional de cada um. Explicou..... mas não consegui compreender, como você bem disse. Conhece a história do entendi mas não compreendi, é exatamente isso, não dá para compreender porque estamos um passo â frente, porque encaramos de frente a nossa dor e procuramos transforma-la em força para seguir adiante. A única coisa que resta é ter compaixão da dor destas pessoas cegas, o que os olhos não vêem o coração não sente. Ledo engano, eles vêem só que não enxergam, esta é a cegueira branca do livro de Saramago. Há de se caminhar uma longa, sofrida e dolorida trilha para se curar dessa cegueira e só os que à procuram é que conseguem enxergar com os olhos da alma. Mas são poucos minha cara. Por isso peço a compaixão para estes pobres que vivem na escuridão, a paralizia da alma cega compromente o primeiro passo, uns com muito esforço vão conseguir, outros nunca. Beijos para todos.

Cecile Azambuja disse...

Boa tarde Eliane...
só passei para desejar uma boa sexta-feira, aliás o tempo está bonito que dói até os olhos, rsrsrs. olho claro soooofre.
Beijos, beijos.

DRAGÃO deseja lindo FINDE disse...

hellooooooooooooooooo, lindo finde p todossssssssssss aproveitem o dia lindo antes que chegue a frente fria!
Beijinsssssssssssssssss

Silvana disse...

Boa tarde blog, boa tarde Lili, que frente fria é essa Dragão, aqui tá fazendo um calor de fritar ovo no asfalto. Mas se ela vier será bem vinda, principalmente se vier acompanhada de uma chuvinha. Bom fim de semana para todos. Beijos

AGNALDO NO ESPELHO disse...

Eliane querida,

Força por aí...

Estou organizando dois times, o dos torcedores do Eliane Futebol Clube e outro (menos glamouroso)o dos "órfãos do blog". rsrsrsrs... É que um dia sem postagem e nos sentimos desconsoldados rsrrsrsrs...

E pelo visto não fui o único. Mais um monte de gente veio passear por aqui.

Lá em casa a lavanda recende...

Volte logo (ou tão logo possa).

Super beijo.

Mª do Rosario - Ro disse...

Oi Eliane, este tema é demais pra mim... Fiz e faço muita terapia para entender ou melhor sofrer o menos possivel com pessoas egoistas. É muito, muito triste a gente descobrir o quanto deixou de ser importante para alguém simplesmente por que adoeceu. É minha querida falta mesmo é compaixão.
Sou meio ignorante neste quesito, acho que é um baita EGOISMO !!!
Bom Fds...

Dragão miss Lilizinha, O Par disse...

Bommmmmmmmmmmmm diaaaaaaaaaaaaa ,bommmmmmmmmmm diaaaaaaaaaaaaaa bommmmmmmmmmmmm diaaaaaaaaaa linda Flor do Leme saudades de todo seu fâ clube e admiradores do blog mais charmoso do planeta!
Estamos te aguardando com muitasssssss saudades, volte logoooooooooooooo, bitoquinhas mto carinhosas e FÔRÇA NO PERUCÃO rs,sr,rs,rs,sr,rs,sr,sr, Chuck está com vc???rs,rs,sr,rs,sr,sr,sr... Inté Belezura do Leme

Elizabeth F.Wigg Abirached disse...

Oi Eliane! cada pessoa carrega uma emoção, sendo q é diferenciada pelo modo q ela lida e cultiva. Por este motivo temos q respeitar determinadas atitudes provenientes de tabus,traumas ou emoções egoísticas. Seja qual for, o ser humano é passível de falhas q nem ele sente. Prima, q vc tenha um feriadão cheio de luz e amor!!! Bjkinhass