quarta-feira, 7 de abril de 2010

Todos no mesmo barco



Se nós por um minuto parássemos para pensar, pelo menos uma vez por dia, entenderíamos que estamos no mesmo barco. Nascemos, lutamos para sobreviver, queremos ser tão amados e depois quando percebemos melhor a vida, não há mais tempo para ser feliz. Porque a vida acaba em um estalar de dedos. Como uma encosta que desaba de uma hora pra outra.
Acontece que não aceitamos nunca que não temos o controle das situações. Levamos um sustão diante do inesperado. Depois, esquecemos.
Tudo indica que nunca estamos prontos para enfrentar mudanças, sofrimentos fora de hora, diagnósticos abruptos e perdas. Afinal, lutamos tanto para construir alguma coisa... Uma casa, uma história, um sentimento. E sem a gente esperar, os planos, os compromissos precisam tomar um outro rumo. Sem a gente querer. Porque não temos o controle. Não temos. Porque pouco, mas muito pouco depende de nós. Precisamos de todos para tocar o barco. Precisamos formar um time.
Diante dos últimos acontecimentos no estado do Rio de Janeiro ficou muito claro que precisamos nos proteger, estender a mão e perceber que não podemos seguir sozinhos empurrando a vida indiferentes a dor ao lado. Benditos sejam estes homens e mulheres, bombeiros, policiais, voluntários, pessoas do bem que se arriscam por outros. Eles entendem que estamos no mesmo barco. E que, mais cedo ou mais tarde, teremos o mesmo destino.
O silêncio que tomou conta ontem de uma cidade depredada, vítima do descaso das autoridades ao longo de décadas, a tristeza de vermos pessoas igualzinhas a nós perdidas e desorientadas, deveria causar um impacto permanente em nossos corações. Sim, porque é preciso pensar mais no coletivo, na sociedade como um todo. A pergunta não é se estamos preparados para uma Olimpíada. A questão é quando vamos estar preparados de verdade para construir algo em conjunto? Em comum.
Há dois dias eu não consigo parar de pensar em meus amigos guerreiros e na angústia de médicos e enfermeiros remarcando cirurgias, tratamentos, consultas, procedimentos pequenos, exames. E nos limites de vida de alguns que precisam de remédios e não podem esperar. E em todos os compromissos que foram por água abaixo diante de um fenômeno climático, diante do acaso. É amigos, as tragédias passam. E poucos, muito poucos entendem que estamos no mesmo barco. Tanto faz se em águas límpidas ou turvas.
Bom dia Rio de Janeiro, de pé cariocas e fluminenses. Bom dia colegas jornalistas. Hoje 7 de abril, dia do jornalista, data instituída em 1931.
No mais, chova ou faça sol, estamos por aqui. Sempre tentando nos levantar. Chamando o guindaste e feliz por ter escolhido esta profissão.

13 comentários:

Alexandre F Maurity disse...

Eliane,

Com esses imprevistos meteorológicos, podemos ver que a cidade está abandonada e, as prestadoras de serviços de energia, telefonia e outras, não estão preparadas para as emergências.

Estou sem telefone fixo, desde terça-feira às 07:30h, e para ficar melhor, houve um black-out de energia elétrica das 21:00h @ 05:00h!!

Liga-se para as concessionárias e as respostas são as mais estúpidas!

Liga-se a TV e rádio os políticos se achando, a ponto de, um certo governador, dizer que, isso é um problema das autoridades e onde elas estão!!!??? Aí desliguei a TV.

Bom dia minha amiga!

Bjs

Eliane disse...

Bom dia Maurity. E isto porque o seu bairro tem um dos IPTUs mais caros do país.
Serviço público? Todos despreparados.
Deveria acabar de vez a CLT e indicações. Só contratos, só concursos, só gente preparada. Preparada em todos os níveis.
Sinto que não verei esta mudança.

Alexandre F Maurity disse...

Nem eu verei essa esperado mudança!!!

Isabel A. W . De Nonno disse...

Estar vivo, já é estar no mesmo barco. Sempre penso nos hospitais também, e me da angústia porque dependemos sim dos outros. Sábios são aqueles que já perceberam isso =)

Ah! Deixei um presente para você láno posto do leão.

Espero que esteja tudo bem.

Beijo grande,

Isabel.

Papoula tá danada com GOVERNANTES PICARETAS disse...

Ihhhhhhhhhhhhhh, acho que nem minha netinha verá O MILAGRE de ver nossa Cidade Maravilhosa funcionando como deve, uma tristeza tudo que aconteceu e lamentáveis as declarações do governador!

melhor não falar muito pq hoje levantei revoltada com o descaso q rola há anos com a cidade mais apaixonante do mundo!

Eliane p/ Isabel disse...

Isabel, posto do leão?
Hoje não estou nada bem. Refresca esta sua guerreira aqui.
Jato d'água para acordar.

Eliane p/Papoula disse...

Vc revoltada? Não acredito. Nem eu sou revoltada. Com nada.
Esta cidade tem estilo até na sua geografia.
O problema é que falta vontade. Muita vontade. Ah a vontade...

Isabel disse...

Era para ser Post do Leão, mas a dislexia às vezes bate com vontade no teclado.

Na verdade, eu sou filha de guerreira. Guerreirinha por tabela ;)

Vai ficar tudo bem, tenho certeza! É que nem aquela música de criança amor: "...depois da tempestade vem um dia claro de verão..."

Eliane p/Isabel disse...

ksksksksk Filhos de guerreiros são guerreiros em dobro, querida. Nunca se esqueça. Nunca. Grande beijo.

Miss Etiqueta disse...

Eliane, realmente estamos "todos no mesmo barco", com os mesmos compromissos, dores, frustrações e por que não? esperanças também.
Acredito que pessoas como você fazem toda diferença, levando a público ideias e reflexões corretas.
Parabéns no seu dia!

Eliane p/ Miss Etiqueta disse...

Que felicidade sua visita.
Obrigada de coração. Adoro passar por lá e ver todas as dicas. Fico mais elegante. Reparou o "mais"?RSRSRSRSSRSR
Um barco de esperança. Esperançassssss.

Vera disse...

Boa Noite Eliane!
Parabéns pelo dia do Jornalista, você merece parabéns todos os dias pelos textos que escreve,e que nos faz refletir.
Estou ainda boquiaberta com tudo o que assisti sobre as chuvas na "cidade maravilhosa". Quanto tempo o Rio vai demorar para se recuperar?
Quantos perderam a vida e ficarão só na contagem,nas estatísticas.Quantos terão que começar tudo de novo... A nossa RBS TV (fliada da Globo) está organizando ajuda e o povo gaúcho não se omitirá, tenham certeza.
Bjs
Vera

Maria "A Carioca" disse...

Hello!!!!
Claaaaaaro que vc tinha que adorara mar, ressacas..............
Se alguém me pedir um dia, para descrever Eliane Furtado, vou dizer assim:
Eliane é como o mar. Em certos momentos, está calma, tranquila, uma imensidão de paz e sabedoria. De repente, a maré muda, sobe e você ve uma agitação, digna dos Deuses, e Muda tudo a sua volta.
Eliane Furtado é linda e grande, como ooceano.
Impossível viver sem esta paisagem.
bjkas baby