domingo, 26 de julho de 2009

Vovós como antigamente? Nem pensar...




Hoje é domingo, dia de Sant'Ana e dia que as vovós estão prosas e comemorando seu dia.
Esta história de vovó hoje em dia é muito engraçada. Afinal não se fazem mais vovós como antigamente.
Sou do tempo que vovó fazia tricôt, crochê, fazia minha comidinha árabe e me benzia quando eu entrava em casa com um trevinho de quatro follhas colhido no jardim dela. Minha avó Marianna usava coquinho e era uma tremenda matriarca. Cozinhava como ninguém.
Hoje as vovós, pelo menos nos grandes centros, são turbinadíssimas. Plástificadas, serelepes, animadas e brigam por seus direitos. Tomar conta dos netinhos? Só quando elas não tem uma programação especial. As vovós hoje são muiiiiiiiiiito modernas. Ainda bem.
Depois então da vovó do Big Brother, fiquei pensando. Puxa vovó que fala palavrão não dá.
Claro que as vovós aqui do Blog são diferentes: um misto de turbinadas com vovós de antigamente.
Aqui tem vovó lobo mau, vovós louras, vovós enxutas, amigonas e que ainda derrubam corações. Põem para quebrar.
E também tem tias avós lindas, guerreiras que adoçam o dia a dia das sobrinhas.
Então, meu beijo especial a todas que construíram uma história cheia de contos de açucar e amor.
E que marcam o dia a dia de seus descendentes.
Meu desejo sincero é que todas virem bisas. Bisaavós . Tubinadas.
Lá vou eu, Haroldinho está me chamando.
Super Tupi.

9 comentários:

Lulu disse...

Avó é mãe com açucar. Eu tive o privilégio de ter várias - minhas avós materna e paterna e outras três tias-avós a quem chamava de avó. Na minha infância, nas férias escolares (que no meu tempo era 1 mês em julho e 3 no final do ano), eu ia para Estância, onde estas minhas tias-avós (Belinha, Yaiá e Marocas) moravam. Vovó Belinha era com quem eu era mais apegada. Eu tinha uma boneca grande, e todo vestido que ela fazia para mim (costurava super bem), fazia igualzinho para minha boneca. Me contava lindas histórias. Fazia todos os meus gostos. Paciente, como ela só, dificilmente se irritava com minhas peraltices. Eu gostava de todas, mas ela era super especial para mim. Faleceu com 100 anos e 3 meses, só não viu meu caçula nascer (morreu 15 dias antes). Dei-lhe a alegria de ter uma filha mulher (minha primogênita) e dar-lhe o nome de sua mãe e minha bisavó: Adelaide (o que desde adolescente lhe tinha prometido).
Eu ainda não obtive a graça de me tornar avó. Os jovens de hoje só querem ter filhos tarde, ou mesmo optam por não ter. Fico me perguntando se daqui a algumas gerações as pessoas terão avós... pelo andar da carruagem, será uma "avis rara" (se já não estiverem extintas)....
Minha homenagem a todas as avós nesse dia tão especial...

eliane disse...

Olá Lulu. Família grande é assim. Tem tias, tias-avós e vovós. Um espetáculo.
Penso só nos mimos.
Saudade deles.
Não tenha pressa de se tornar avó.
Vai acontecer. Ótima tarde de domingo.

Vovózinha Lobo Mau ,kkkkkkkkkkkkk disse...

Boa noite VOVÓS AMIGAS, COMPANHEIRAS, PARABÉNS A TODAS QUE SEI SÃO SUPER VOVÓZINHAS, lindas, charmosas e APAIXONADAS como eu, pelos seus netinhos/as, VIVA AS VOVÓZINHAS E OS VOVÔZINHOS, MUITA SAÚDE para todos nós podermos curtir nossa gurizada com suas lindas historinhas, baguncinhas, como é bom SER VOVÓ, ouvir aquela vózinha doce, carinhosa dizendo:
Vem Vovó, vem bincá de nequinha, vemmmmmmm!

Você Lizinha queridinha, é tia-AVÓ, é o máximo tb, minha irmã quase desmaiou qd se tocou q seria tão jovem, TIA AVÓ q na nossa época eram senhorassssssss , rs,sr,sr,sr,sr,sr, ela curte demaissss nossa amada JOANINHA assim como vc curte sua mimosa e linda Valentina, PARABÉNS PARA TODASSSS e uma belíssimaaaaa semana.

Camélia da Filial do Inferno disse...

Hortência

Boa Noiteeeeeeeeeeeeeeeeeeeee
Eu tive sorte na vida, convivi com minha bisavó até meus 24 anos, uma portuguesa e tanto, uma grande guerreira. Minha avó era uma verdadeira dama, todos falavam que ela parecia uma rainha e como cozinhava, ninguém esquece até hoje. Ela era muito linda, qta saudade........
Recordar é viver, pessoas e coisas boas não esquecemos jamais.
Bjs mil
Camelinha do Cerrado (Filial do Inferno)
OBS: Os Ipês Amarelos começaram a florir lindo lindo

Ro para Eliane Furtado disse...

Eu adorei a histórias de sua Avó Marianna, no atraídos pelo amor. è um alinda , linda história. Eu tb tive uma avó a materna muito bacana.
Infelizmente minhas filhas não tiveram a mesma sorte. Espero que elas pelos menos sejam boas avós! Socorro quer ser Avó. Coloquei na lista! bjs:)

Lili para vovó e todas disse...

Ainda bem vovozinha Lobo Mau vc falou que sua irmã foi tia avó muiiiiiiito jovem. Eu então...com esta diferença enoooooooooorme entre o irmão mais velho e a jovem aqui...a sobrinha tem diferença mínima com titia.

Hortência disse...

Que legal heim Camélia. Uma benção conviver e conhecer os abós e bisas.
Já estou subindo de tópico nesta segunda regida por Leão.

Fátima disse...

A minha avó materna ficava o dia todo numa cadeira de balanço, na sala, a espera de filhos e netos que passassem por lá.E todos passavam,era uma pessoa que trazia uma paz enorme.Tinha sempre dois potes com biscoitos,salgado e doce,sóissojá era um bom motivo pra irmos lá. rsrsrs
Já eu...outro dia um amigo me disse pra pendurar o xale um pouco rsrsrs que estava fazendo falta ...é...as vezes o xale pesa, mas faz parte...

eliane disse...

Cadeira de balanço é a imagem da vovó tb.